Rui discursa em protesto pelo torpedeamento do navio "Paraná"
Rui discursa em protesto pelo torpedeamento do navio "Paraná"
Multidão reunida na Avenida Rio Branco ouve o discurso de Rui Barbosa
Junho de 1914. Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austro-húngaro, é assassinado em Sarajevo. O atentado provoca a invasão da Sérvia. Deflagrada a Primeira Guerra Mundial, o conflito sangrento determinado por disputas entre as grandes potências da Europa perduraria até 1918. Rui Barbosa demonstrou uma atitude de firme apoio à causa dos aliados. Na sua opinião, a invasão da Bélgica pelos alemães, no final de 1915, representava o revés das conquistas alcançadas na Conferência da Paz em Haia.

Cena de batalha na Europa, 1917

Ecoadas a partir de Buenos Aires, as teses de Rui Barbosa viriam provocar mudanças profundas na política externa do Brasil - até então de neutralidade na Guerra Mundial -, além da queda de Lauro Müller, ministro das Relações Exteriores. Durante todo o ano de 1917, Rui participaria de comícios e manifestações patrióticas contra a agressão aos navios da marinha mercante brasileira. Convocado por Venceslau Brás, presidente da República, tomaria parte na reunião em que foi revogado o decreto de neutralidade. Em junho do ano seguinte Rui Barbosa seria eleito diretor-presidente da Liga Brasileira pelos Aliados.
O decreto de neutralidade é revogado no Catete. Aparecem Nilo Peçanha, Rui Barbosa, Venceslau Brás, Rodrigues Alves e Urbano Santos
Homepage
Luta pela cidadania A construção da República O vôo da águia A questão social .
 
Histórico Links Créditos Índice Bibliografia