xito ou fracasso? Há razões de sobra para que se faça tal pergunta a respeito de Pedro Álvares Cabral. Comandante da maior esquadra até então composta para a conquista dos mares, encarregado de ampla e esperançosa missão de diplomacia e negócios, viu perder-se grande parte da sua frota, debateu-se com problemas de relações negociais com o principal centro de comércio conhecido na Índia, cometeu equívocos, regressou a Lisboa desencontrado do que restava dos seus comandados, não teve festas apesar de ter-lhe sido assegurada recompensa econômica, retirou-se a um exílio voluntário e no ostracismo morreu sem que se lembrassem dele. Aparentemente, fracasso.

Entretanto, ao longo da sua derrota colheu triunfos inexcedíveis. Apesar de todos os percalços no Índico, regressou a Portugal abarrotado de mercadorias e com a garantia de acordos comerciais novos e significativos. Tornou-se o primeiro navegador a tocar os quatro continentes numa só viagem marítima. E mais do que tudo: alcançou a terra nova, para achá-la por primeira vez ou simplesmente confirmar sua existência, e nela plantou o marco da fundação e do descobrimento, dando-lhe até mesmo o nome de batismo. E ainda que tão cedo não lhe fosse reconhecido o mérito dessa grandeza, plantou as sementes daquela que se viria a tornar num dos mais encantadores e promissores países que a humanidade tem conhecido. Não poderia haver êxito maior.
É o mesmo que se pergunta sobre esta revista on line,

quando se publica a sua última edição: terá alcançado seus objetivos? Ou, mesmo ao falhar, terá conseguido ultrapassar algumas metas sonhadas e assegurar-se um êxito estrondoso?
A resposta afirmativa à segunda questão enche-nos de orgulho. Este site na Internet foi criado como apoio e sustentação de um amplo projeto, ao longo do qual sonhávamos poder reunir, por esforço geral e contribuição espontânea, algumas informações novas e inéditas sobre Pedro Álvares Cabral.
Entretanto, o alto nível de leitura e a farta correspondência que temos recebido demonstram que esta revista funcionou - plenamente e muito além do imaginado - como um instrumento de divulgação de conhecimentos mal divulgados e sobretudo como catalisador de interesses novos por um assunto que,

além das festas dos 500 anos de Brasil, merecerá sempre ser objeto de investigação, discussão e cultivo. Não temos, por isso, nenhum problema em afirmar que alcançamos pleno êxito. A Revista Online Cabral, Viajante do Rei chega a sua última edição, mas permanecerá no ar, durante todo o ano de comemoração dos 500 anos do Brasil. Assim, o leitor poderá ter acesso a todas as edições e coletar um grande material de pesquisa reunido nestes últimos dois anos. Temos a certeza de que, na esteira da sua rota, gente nova terá descoberto os encantos da investigação histórica e a ela se dedicará, em diferentes níveis. E o Brasil, imenso país de maravilhas e de problemas, poderá ser assim permanentemente estudado e discutido, em seriedade, de forma a que cresça e se desenvolva sempre, amparado tanto pela paixão quanto pelo embasamento científico de tudo aquilo que sobre ele se pense, se diga e se

descubra.
P.S.: Não deixe de visitar a exposição "Cabral, o Viajante do Rei - As Origens do Brasil" quando ela chegar em sua cidade.