antarém surge como o lugar onde os sonhos de Pedro Álvares Cabral ficam em suspenso a meio caminho entre a Belmonte da infância e a Lisboa da realização política e pessoal plena. Depois da viagem ao Brasil e à Índia, Cabral fixa-se em Santarém à espera de um sinal do rei para uma nova tarefa ao serviço da coroa. Aos poucos aprende a caminhar e a passear a cavalo na Ribeira de Santarém, a ir à missa na Igreja da Graça ou a conversar com os aldeões. Lentamente deixava de ser um visitante.

Santarém era a segunda cidade do reino, Cabral já a conhecia bem e ia ficando, entrando e saindo pela Porta dos Becos, Porta de Santiago ou caminhando diante do convento de Santa Clara, indo a Marvila, ou até ao Jardim de Cima. Ele se encanta com a cidade que possuía tanta tradição, embora para muita gente ainda estivesse marcada com o luto real pelo episódio da perda do jovem Príncipe Afonso. A decisão de ali ficar, à espera de um chamado de Lisboa, ao mesmo tempo em que procurava construir outra parcela importante em sua vida, faz de Pedro Álvares Cabral um homem sensível e maduro para qualquer mudança.
A casa onde Cabral morou a partir de 1503, até o ano de sua morte, 1520, foi inaugurada pelos presidentes do Brasil e de Portugal - Fernando Henrique Cardoso e Jorge Sampaio - , no dia 09 de março de 2000, após um grande processo de restauração.

A Casa do Brasil/ Casa de Cabral, uma iniciativa da Fundação Banco do Brasil e da Odebrecht, responsáveis pelo Projeto Memória, junto com a Câmara Municipal de Santarém, é agora um amplo centro cultural que possui um auditório, biblioteca, sala de estudos e documentação.
Depois da cerimônia de abertura oficial da Casa do Brasil/Casa de Cabral, Sampaio e Fernando Henrique foram em direção à Igreja da Graça, onde os esperavam cerca de 130 figurantes caracterizados, dirigidos por quatro encenadores brasileiros de São Vicente, SP, que encenaram a chegada dos portugueses ao Brasil.
No interior da Igreja da Graça, onde se encontram os restos mortais de Cabral, os presidentes inauguraram a exposição "Cabral, o Viajante do Rei - As Origens do Brasil", simultaneamente foram inauguradas 30 exposições iguais, em

todas as capitais brasileiras, exatamente às 12:00h, hora local, e às 09:00h, hora de Brasília. Transmitida ao vivo para o Brasil e Portugal, a exposição uniu os dois países em torno do início das comemorações pelos 500 anos do descobrimento do Brasil.

Painel da Exposição de Portugal
Vista interna da Exposição na Igreja da Graça
Pórtico na entrada da rua de Belmonte em Santarém, Portugal