You need to upgrade your Flash Player This is replaced by the Flash content. Place your alternate content here and users without the Flash plugin or with Javascript turned off will see this. Content here allows you to leave out noscript tags. Include a link to bypass the detection if you wish.
 
HOME
BIOGRAFIA
PENSAMENTO
OBRAS
CRONOLOGIA
FRASES
GLOSSÁRIO
PROJETO MEMÓRIA
CONTATO
LINKS
CRÉDITOS
 
 
   
PELO DIREITO DE VOTAR: A PRIMEIRA LUTA FEMINISTA
UM FEMINISMO SEM LIBERDADE DE EXPRESSÃO
CAI A DITADURA E O FEMINISMO GANHA FORÇA NO BRASIL


Movimento e pensamento na luta em defesa da mulher

No final da década de 1990 e início do século XIX, surge um grande volume de publicações da obra de Nísia Floresta, incluindo “A Lágrima de um Caeté” e “Cintilações de uma Alma Brasileira”, em 1997, “Itinerário de uma Viagem à Alemanha”, em 1998, e “Três Anos na Itália, Seguidos de uma Viagem à Grécia”, em 1999.

Em 2001, publica-se “Fragmentos de uma Obra Inédita: Notas Biográficas” e, em 2002, “Cartas de Nísia Floresta & Auguste Comte”.

E o feminismo, na virada do milênio, passa a ser dividido em dois aspectos.



Dividir-se entre a família e a
vida profissional é um dos
maiores desafios enfrentados
hoje pelas mulheres: em muitos
casos, elas sustentam sozinhas os filhos.

Agora, o que existe, além de um “movimento” feminista, é um “pensamento” feminista, que não se caracteriza somente por ações na sociedade.

O pensamento feminista concentra basicamente os estudos acadêmicos que buscam o resgate da história do País tendo como base a mulher, em oposição à costumeira centralização nos personagens masculinos.

E, no âmbito dos movimentos, o que se destaca é o aparecimento de diversas organizações não-governamentais, focadas em diferentes temas, como a sexualidade da mulher, a saúde feminina, o aborto, a violência e, também, o racismo de que são vítimas.

O feminismo, iniciado por Nísia Floresta há quase 200 anos, é hoje reconhecido e bastante divulgado, sendo considerado por muitos estudiosos o movimento social mais importante do século XX.

Mas não deixou de entrar no novo milênio trazendo junto velhas questões, como a modesta presença das mulheres no Congresso Nacional, nas assembléias legislativas e nas câmaras de vereadores, incluindo também todos os níveis do Poder Executivo e os próprios partidos políticos.

 

Uma das principais bandeiras levantadas por Nísia Floresta foi a educação das mulheres, que apresenta hoje um quadro totalmente diverso: atualmente, elas são maioria nas universidades.

O papel do feminismo na transformação da sociedade engloba a discussão e a mobilização em torno das relações de gênero, das relações étnicas e raciais e, principalmente, das relações do sexo feminino com as diferentes esferas de poder.

Manifestante ao lado de imagem da artista plástica mexicana Frida Kahlo, ícone do feminismo em todo o mundo.

 

E, conscientes disso, as mulheres lutam ainda por sua autonomia plena, pela superação das desigualdades salariais, pela liberdade e pelo verdadeiro exercício da democracia, em suas casas, na sociedade e pelo mundo afora.