(1931 – 1939)

A vida e obra de Monteiro Lobato

FERRO E PETRÓLEO PARA O BRASIL

1931 – Lobato encaminha a Getúlio Vargas longo documento intitulado Memorial sobre o problema siderúrgico brasileiro, onde expõe uma vez mais a importância econômica do ferro, as vantagens do processo Smith e historia seu esforço para que fosse implementado no Brasil. Nas suas palavras, seria "o nosso 13 de Maio econômico", possibilitando a exploração racional das reservas de ferro. Desanimado com a indefinição governamental, cria em sociedade com Fortunato Bulcão o Sindicato Nacional de Indústria e Comércio, constituído a 30/5 desse ano. Mas a empresa não consegue superar dificuldades técnicas e políticas, e em 1933 acaba desfeita.  
Lobato e seus colaboradores do
campo de petróleo do Araquá

1931 - Lançamento de Ferro, O pó de pirlimpimpim e As reinações de Narizinho. Adaptação de Robinson Crusoé e de Alice no país das maravilhas.

12/10/1931 – Inaugurado o Cristo Redentor, no morro do Corcovado, Rio de Janeiro.

1932 - Lançamento de América e Viagem ao céu. Adaptação de Contos de Andersen e Contos de Grimm. Publicado em São Paulo o livro Die Alte Fazenda, com contos de Lobato vertidos para o alemão.

1932 – Conflito militar entre a Bolívia e o Paraguai pela posse da região do Chaco, rica em petróleo.

8/4/1932 – Pelo decreto 21.265 a Companhia Petróleo Nacional, incorporada por Monteiro Lobato, Lino Moreira e Edson de Carvalho, entre outros, é autorizada a funcionar e será responsável pelas prospecções em Riacho Doce, Alagoas.

  17/5/1932 – Pelo decreto 21.415 a Companhia Petróleos do Brasil, incorporada por Monteiro Lobato, Manequinho Lopes e L. A. Pereira de Queiroz, é autorizada a funcionar e, em agosto desse mesmo ano, dá início às prospecções no campo de Araquá [hoje no município paulista de Águas de S. Pedro].

9/7/1932 – Explode a Revolução Constitucionalista em São Paulo.

10/8/1932 - Em carta-manifesto dirigida a Waldemar Ferreira, secretário da Justiça e Segurança Pública do Governo Constitucionalista Revolucionário de São Paulo, Lobato faz críticas ao "militarismo federal" e considera a insurreição uma "guerra de independência", declarando: "São Paulo, depois da vitória, deverá expressar-se na fórmula Hegemonia ou Separação", título que deu ao documento.

7/10/1932 – Plínio Salgado cria a Ação Integralista Brasileira.

1933 – O presidente norte-americano Franklin Roosevelt introduz o New Deal, programa de reformas para fazer frente à crise econômica iniciada em 1929. Adolf Hitler torna-se primeiro ministro na Alemanha.

1933 - Lançamento de Na antevéspera, História do mundo para crianças, As caçadas de Pedrinho e Novas reinações de Narizinho.

3/5/1933 – Realizadas as eleições para a Assembléia Constituinte. Pela primeira vez no Brasil uma mulher é eleita para a Câmara dos Deputados.

Observação: devido a lacunas nos arquivos da Companhia Editora Nacional - relativas ao período anterior a janeiro de 1934 e ao compreendido entre outubro de 1936 e abril de 1939 - alguns títulos de obras traduzidas por Lobato não constam desta cronologia.

1934 – Sob a liderança de Mao Tse Tung, começa a Longa Marcha dos comunistas chineses.

1934 - Lançamento de Emília no país da gramática. Adaptação dos Contos de fadas, de Perrault. Traduções: Kim, O lobo do mar, Pollyana, Pollyana moça, Aventuras de Huck, Jácala, o crocodilo, O homem invisível, O Doutor Negro, A filha da neve e Diamante Negro.

17/7/1934 – Getúlio Vargas é eleito presidente da República pela Assembléia Constituinte.

Novembro de 1934 – Getúlio Vargas oferece - e Monteiro Lobato recusa - a direção do Departamento de Propaganda e Difusão Cultural, criado em julho daquele ano.

  1935 - Lançamento de Contos leves, Aritmética da Emília, Geografia de Dona Benta e História das invenções. Traduções: A ilha das almas selvagens, Cleópatra, A ponte São Luís Rei, História da Filosofia (com Godofredo Rangel), O grito da selva, O crime do cassino, Scarface, Tarzan o terrível, O pequeno César e Moby Dick.

30/3/1935 – Lançada no Rio de Janeiro a Aliança Nacional Libertadora (ANL), movimento de massas antifascista. Em 11/7 decreto de Vargas coloca a organização na ilegalidade.

Junho de 1935 – A Companhia Editora Nacional publica o livro A luta pelo petróleo, de Essad Bey, em tradução de Charlie W. Frankie revista e prefaciada por Monteiro Lobato.

23/11/1935 – Eclode uma rebelião em Natal, organizada pela ANL e esmagada três dias depois. No dia 24 quartéis de Pernambuco também se rebelavam e, no dia 27, foi a vez do 3o RI do Rio. Com o fracasso do movimento - conhecido como Intentona Comunista - tem início um longo período de perseguições políticas no país, com a criação de leis e tribunais de exceção.

1936 – Começa a Guerra Civil Espanhola.

1936 - Lançamento de Dom Quixote das crianças e Memórias da Emília. Tradução: A ceia dos acusados.

 

3/2/1936 - Por unanimidade de votos, Lobato é eleito para a cadeira 39 da Academia Paulista de Letras.

Agosto de 1936 – Chega às livrarias O escândalo do petróleo, com duas edições esgotadas nesse mesmo mês, seguidas de mais três até o final do ano, totalizando 20 mil exemplares vendidos.

31/8/1936 – O Diretório Estadual da Aliança Nacional Libertadora (ANL) de São Paulo envia carta a Lobato aplaudindo entusiasticamente O escândalo do petróleo.

1937 - Lançamento de O poço do Visconde, Serões de Dona Benta e Histórias de Tia Nastácia e da adaptação das Viagens de Gulliver.

14/8/1937 – Lobato compra a União Jornalística Brasileira, criada três anos antes por Menotti del Picchia.

10/11/1937 – Tropas cercam e dissolvem o Congresso. Getúlio Vargas anuncia o Estado Novo e entra em vigor a Constituição da ditadura.

1938 – Conferência de Munique decide pelo desmembramento da Checoslováquia.

  1938 – Lobato escreve a peça O museu da Emília para ser encenada na Biblioteca Infantil Municipal de São Paulo. Lançado em Buenos Aires pelo Editorial Claridad Don Quijote de los niños, em tradução de Benjamin de Garay. Travesuras de Naricita Respingada, Tremendas cacerias de Pedrito, Los contos de la negra Nastacia e mais oito títulos já haviam sido publicados pela mesma editora na Argentina.

10/1/1938 - Morre em São Paulo seu filho Guilherme.

31/3/1938 – Em carta a Getúlio Vargas Lobato conclama o presidente à defesa da soberania brasileira na questão do petróleo e faz graves denúncias contra o Departamento Nacional de Produção Mineral.

29/4/1938 – Criado o Conselho Nacional do Petróleo (CNP).

7/7/1938 – Realiza-se a assembléia de constituição da Companhia Matogrossense de Petróleo, incorporada por Monteiro Lobato, Vítor do Amaral Freire e Octalles Marcondes Ferreira, entre outros. Fará prospecções em Porto Esperança, região do município de Corumbá, no coração do Pantanal, em área vizinha aos ricos territórios petrolíferos do Chaco.

1939 - Lançamento de O Picapau Amarelo e O Minotauro. Traduções: Rumo às estrelas, Evolução da física e Os grandes pensadores.

22/1/1939 – No poço de Lobato [localizado num subúrbio de Salvador, Bahia, em terras que no século XVI pertenceram ao fazendeiro Vasco Rodrigues Lobato, de onde se originou sua denominação], é descoberto oficialmente o petróleo no Brasil.

1/9/1939 – Adolf Hitler invade a Polônia e, dois dias depois, a Inglaterra e a França declaram guerra à Alemanha. Tem início a Segunda Guerra Mundial.

27/12/1939 – É criado o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), encarregado da censura aos meios de comunicação e da propaganda oficial do Estado Novo.