PREOCUPAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE


Para entender os problemas alimentares, com toda a complexidade em que estão envolvidos, Josué de Castro utiliza o conceito de ecologia como o estudo das ações e reações dos seres vivos diante do meio. Não se restringe ao meio físico, mas considera todo o impacto da ação do homem sobre a natureza e do ambiente sobre o homem como uma unidade que engloba aspectos físicos e sociais.

Josué na tribuna da Câmara dos Deputados, no Rio de Janeiro/DFObserva que os mais graves problemas ecológicos dos países pobres têm sua origem longe deles, como um subproduto do crescimento dos países desenvolvidos. Considerando a globalidade do ecossistema mundial, define o subdesenvolvimento como uma forma de poluição produzida pela exploração de recursos sem a preocupação com a preservação do meio e da espécie humana.

Os efeitos desta ação econômica podem ser vistos no esgotamento de recursos naturais não renováveis, na erosão do solo, na destruição de ecossistemas e em inúmeras doenças decorrentes da poluição.

A seca do Nordeste sempre foi retratada em sua crueldadeApesar dos efeitos negativos do progresso tecnológico sobre o meio, Josué não defende o abandono da tecnologia, mas sua reconversão em função de um desenvolvimento que considere a preservação do meio e as necessidades vitais dos grupos humanos.


Imprimir este texto