BRASÍLIA, UM DELÍRIO POSSÍVEL (1955-1960)

Visitantes ilustres


JK e André Malraux, ministro francês da Cultura. Brasília, agosto de 1959 Um dos prazeres de JK, durante a construção de Brasília, era mostrar sua cidade aos visitantes. Lá estiveram chefes de Estado, como o presidente americano Dwight Eisenhower. Ou escritores como Jean-Paul Sartre, Aldous Huxley e André Malraux, ministro da Cultura da França – que não se conteve: "Esta é a capital da esperança", disse a JK.

O ator inglês David Niven, que fez com ele um vôo de helicóptero sobre a cidade, registrou anos depois, em suas memórias, o entusiasmo e a jovialidade do presidente – não se esquecendo de contar que foi convidado para a inauguração, do lago Paranoá, no dia seguinte.

JK recebe Fidel Castro. Brasília, maio de 1959 Em maio de 1959, quatro meses depois de tomar o poder em Cuba, o jovem primeiro-ministro Fidel Castro não decepcionou quem dele esperava discursos fluviais – e só se calou quando viu Brasília do alto, ao lado de JK.