DIAMANTE EM FORMAÇÃO (1902-1932)

Raízes


Juscelino aos 3 anos Juscelino Kubitschek, o vigésimo brasileiro a ocupar a presidência da República, nasceu num sobrado da rua Direita, em Diamantina, cidade mineira a 282 quilômetros de Belo Horizonte, no dia 12 de setembro de 1902.

Era filho de João César de Oliveira, irrequieto personagem que teve os mais variados ofícios – caixeiro de loja, bombeiro, lapidador de pedras preciosas, caixeiro-viajante, delegado de polícia, fiscal de rendas e capitão da Guarda Nacional – antes de morrer, ainda jovem, de tuberculose.

Sua mãe, a professora primária Júlia Kubitschek, era neta de um marceneiro checo nascido na Boêmia, Jan Nepomuscký Kubitschek, que chegou ao Brasil por volta de 1831, o ano em que d. Pedro I abdicou do trono. O país tinha então pouco mais de 5 milhões de habitantes.

Instalado na região de Diamantina, Jan não tardou a fazer fortuna e viu seu nome ser abrasileirado, pela gente do lugar, para João Alemão. Casado com uma brasileira, teve três garotos – um dos quais, João Nepomuceno Kubitschek, faria carreira política, tendo chegado a senador estadual constituinte e a vice-governador de Minas Gerais no final do século XIX.

Família do avô materno de Juscelino: a tia Sinhá, a avó Mariquinha, o avô Augusto Elias e a filha Júlia, mãe de JK O mais velho dos filhos de João Alemão morreu menino. O terceiro, Augusto Elias Kubitschek, homem sossegado e de pouca conversa, comerciante de armarinho que trocava tudo por um bom livro, foi o pai da professora Júlia Kubitschek e avô do futuro presidente do Brasil.