Castro Alves, 150 anos



Em 1997, completaram-se 150 anos do nascimento de um dos maiores nomes da literatura brasileira em todos os tempos: Antônio Frederico de Castro Alves, o Poeta dos Escravos, do Povo, da Liberdade.

Para homenagear Castro Alves, no ano do seu sesquicentenário de nascimento, o Governo do Estado da Bahia, a Fundação Banco do Brasil e a Organização Odebrecht uniram esforços, buscando ampliar a divulgação da obra do poeta.

A Fundação Banco do Brasil, empenhada em contribuir para manter viva a memória nacional, idealizou o Projeto Memória, através do qual homenageia personalidades e celebra fatos históricos que marcaram a vida do nosso país.

A Organização Odebrecht, desde 1959, patrocina pesquisas que promovem o resgate de valores culturais e a preservação do patrimônio histórico e artístico dos países em que atua.

Essa convergência de objetivos deu vez à formação de uma parceria, fortalecida pela presença do Governo da Bahia.

Pesquisadores, escritores, artistas plásticos, músicos, cenógrafos, atores, bailarinos, estimulados e patrocinados pelas três instituições, integraram-se com entusiasmo no resgate da obra e da história do poeta baiano.

O resultado dessa união foi o surgimento de uma oportunidade para o Brasil reencontrar Castro Alves, por meio da música, da dança, do teatro, das artes plásticas, da reedição de sua poesia, do relato de sua vida.

A presente obra é um dos instrumentos concebidos com o objetivo de contribuir para o êxito desse reencontro. Trata-se, mais precisamente, de um veículo destinado a aproximar o poeta e a juventude. É a ela afinal, que Castro Alves, acima de tudo, pertence.

Que o conteúdo deste site nos ajude a perceber toda a riqueza - toda a paixão! - contida na poesia de Castro Alves. Para tanto, estamos convictos do que escreveu Jorge Amado: "Seja onde for que haja jovens, corações pulsando pela humanidade, em qualquer desses corações encontrarás Castro Alves."